Vídeos das minhas aves

Loading...

Actualizações

-Página "Aves disponíveis" actualizada - 22/08/2014
Babetes e mandarins para venda!

quarta-feira, 30 de Maio de 2012

Crias de Castanhov, Gould e Babete

Cinco crias de Lonchura castaneothorax (Castanhovs) a serem criadas pelos próprios pais.


Quatro crias de Diamantes de Gould, já fora do ninho juntamente com as amas.



Duas das três crias de Diamante Babete de Cauda Longa (Poephila acuticauda) que estão a ser criados pelos pais, já fora do ninho.
As crias são 2 clássicas e 1 castanha, sendo os pais macho clássico (portador de castanho) e fêmea castanha.

terça-feira, 22 de Maio de 2012

Babetes e Goulds

Uma das 3 crias de Babete que estão ser criadas pelos próprios pais 

4 crias de Babete
1 dos Goulds que estão a ser criados por Pardais de Java

sábado, 19 de Maio de 2012

Mandarins de exposição, Goulds e Castanhovs

Castanhov no choco

Pinguim Peito Negro e Pinguim

Aqui com o pai

4 Goulds a serem criados por Javas depois de os pais os abandonarem 

quinta-feira, 10 de Maio de 2012

Ave do Ano 2012 - Rola-brava

Fonte: http://www.naturephoto-cz.eu/

Caracterização

» Nome científico: Streptopelia turtur
» Família: Columbidae
» Caraterísticas: espécie migradora de longa distância, que passa o inverno em África 
» Ocorrência: Europa, Norte de África, Médio Oriente
» Quando pode ser observada: primavera/verão
» Habitat: sebes, galerias ripícolas, montados e parques urbanos
» Alimentação: preferencialmente sementes
» Distribuição: mais abundante no Norte do que no Sul, sendo particularmente abundante em Trás-os-Montes.
» Estimativa da população: entre 3,5 e 7,2 milhões de casais desta espécie na Europa
» Curiosidades:
   - Membro mais pequeno da família dos pombos 
   - Pode de percorrer distâncias superiores a 10.000 km
   - Estima-se que sejam abatidas anualmente entre 2 e 3 milhões destas aves em toda a Europa, maioritariamente durante a migração pós-nupcial


Razão para ser a Ave do Ano 2012

A rola-brava está em decréscimo acentuado na maior parte dos países europeus. O Esquema Pan-Europeu para a Monitorização de Aves Comuns, que compila informação anualmente em 25 países, revela que as populações europeias desta espécie diminuíram em média 69% entre 1980 e 2009. Isto significa que por cada 100 rolas existentes em 1980, atualmente existem apenas 31. Em Portugal a situação não é diferente. A rola-brava está em decréscimo acentuado, pelo menos desde 2004, de acordo com o Censo de Aves Comuns. Entre 2004 e 2010 as populações nacionais da espécie registaram uma diminuição média de 31%. 

As causas para o decréscimo populacional acentuado da rola-brava são provavelmente várias. É uma espécie muito sensível à perda e degradação do habitat de reprodução, devido principalmente à intensificação agrícola e florestal. A destruição de sebes e linhas de água, a simplificação do mosaico agrícola e florestal, as monoculturas e o uso intensivo de fitofármacos são causas principais da degradação do habitat da rola-brava. É também muito vulnerável à caça excessiva. O estado depauperado da maioria das populações de rola-brava torna a pressão cinegética atual insustentável. Os números atuais, pouco precisos, indicam que pelo menos 10% da população é caçada anualmente na Europa. Está também muito dependente do regime de chuvas na região onde inverna em África. Por esta razão as populações invernantes de rola-brava estão também ameaçadas pelas alterações climáticas, em particular pelas secas prolongadas e pelo avanço do deserto na África sub-Sahariana.
Atualmente existe uma Plano de Gestão da União Europeia para a Rola-brava, ao abrigo da Diretiva Aves. Este plano prevê medidas essenciais e urgentes como a publicação anual de estatísticas da caça credíveis, o desenvolvimento de um modelo populacional preditivo para calcular o abate anual sustentável, o estudo do sucesso reprodutor e da mortalidade invernal e dos fatores que os afetam. Apesar do Plano de Gestão estar em vigor desde 2006, quase nada foi feito em Portugal.


Objetivos da campanha

Com esta campanha a SPEA pretende obter em primeiro lugar uma moratória na caça à rola-brava em Portugal, por um período não inferior a três anos. Em segundo lugar é importante a implementação do Plano da Gestão para a espécie em Portugal, principalmente o reforço da investigação e do conhecimento que permitirá tomar decisões fundamentadas no futuro no que diz respeito à gestão cinegética desta espécie.

Será importante envolver nesta campanha, as ONGs de ambiente, as confederações de caçadores, os organismos da administração do Estado e as instituições científicas relevantes, para além de todos os outros cidadãos interessados. Porque a proteção da rola-brava interessa a todos. Se perdermos esta espécie, perde o ecossistema, perdem as explorações cinegéticas e perde toda a sociedade. 

Fontes de informação relevante:

Som da rola-brava: 


 XC40186 
 
European Turtle Dove (Streptopelia turtur) by Marco Dragonetti from Italy